segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Sutil como o ar
na doçura do olhar
explica tudo aquilo
que o verbo não pode expressar

Na nuance das cores
leves tons de amores
não cabem em palavras
todos esses sabores

A luz que sai dos seus olhos
cria sentido contrário
a física não explica
nem há verbetes no dicionário
então...

que gaste o gesto no gosto
do seu rosto
colado no meu rosto

eu gasto... não basta
devasto
caminho descalço
seguindo seu rastro
pois em sua presença

floresce no asfalto...


Rômulo Romanha

para Danielle Barucci

Um comentário:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.