sexta-feira, 1 de julho de 2011

Acordando

A vida não escapa daquele minuto na frente
Que corre demente junto do inocente presente
Não pare adiante, afastado, olhando distante
Respirando na hora, acordado ou dormente

Com você não vai ser diferente
Sinto muito, mas e quem não sente?

Com você não vai ser diferente
Sinto muito, mas e quem não sente?

Vi o sangue correr
Corre em mim e em você

Mesmo assim eu insisto
Eu acordo o momento é ardente
Daqui pra depois, na demora chegando indecente

Dou o sangue pra ver
Tu morrer e nascer

Vi o sangue correr inocente
No perfume o cheiro não mente

Nação Zumbi