quarta-feira, 28 de março de 2007

POA da mio cuore


Como algumas pessoas nos deixam felizes com gestos tão simples?
As vezes só de saber que elas ainda nos acompanham, nosso coração é tomado por uma alegria única.
As vezes me sinto tomado por uma alegria que nunca viví, lembranças que nunca tive, saudades de lugares que nunca passei.

O mapa
Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo...


(E nem que fosse o meu corpo!)


Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei...


Ha tanta esquina esquisita,
Tanta nuança de paredes,
Ha tanta moca bonita
Nas ruas que não andei
(E ha uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei...)


Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso


Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)


E talvez de meu repouso...


Mário Quintana

Um comentário:

Lisiane disse...

Rômulo, meu querido... E então tu já está sentindo saudades da Casa de Cultura? Pois se um dia a conhecer, vai sentir mais saudades ainda. É um lugar adorável.
Coloque-o na lista de lugares a visitar, quem sabe, um dia, da vida.
Certo?

Beijos saudados da tua amiga gaúcha.